Solo grampeado Verde em São Paulo – SP

É um tipo de estabilização do talude através da técnica de Solo grampeado Verde em São Paulo  com revestimento flexível, grama, manta, geomanta, e drenagem, que consiste na inserção de chumbadores para estabilização global da encosta.

Esse revestimento da face pode ser um tipo de geomanta de malha flexível tridimensional, sobreposto a um plantio de sementes para criar um ambiente propício ao crescimento da vegetação, para proteger a superfície do terreno e para aumentar a resistência do solo.

Esse tipo de técnica pode ser utilizada nesses taludes mesmo depois que tenham sido afetados por erosões, e nesses casos, o solo grampeado verde funciona como medida de conter o talude de maneira a evitar deslizamentos de terra.

O Solo grampeado Verde em São Paulo  pode ser utilizado em qualquer local que possui o objetivo de realizar a contenção do solo, seja em túneis, residências, indústrias ou ferrovias, o importante é utilizá-lo em locais que necessitem de uma contenção eficiente.

Essa técnica precisa ser desenvolvida a partir de um projeto de contenção, realizado por profissionais da área. Com o projeto em mãos, engenheiros e técnicos serão capazes de decidir qual será a forma adequada para a aplicação do solo grampeado verde.

Assim, essa aplicação pode envolver perfurações no solo, injeções de cimento por pressão e modificação do terreno. Por envolver tantos riscos, é imprescindível que a aplicação de Solo grampeado Verde em São Paulo  seja realizada por uma empresa especializada e responsável.

Ficou na duvida ou interessado? Entre em contato conosco:

Solo grampeado Verde em Congonhas – MG

É um tipo de estabilização do talude através da técnica de Solo grampeado Verde em Congonhas com revestimento flexível, grama, manta, geomanta, e drenagem, que consiste na inserção de chumbadores para estabilização global da encosta.

Esse revestimento da face pode ser um tipo de geomanta de malha flexível tridimensional, sobreposto a um plantio de sementes para criar um ambiente propício ao crescimento da vegetação, para proteger a superfície do terreno e para aumentar a resistência do solo.

Esse tipo de técnica pode ser utilizada nesses taludes mesmo depois que tenham sido afetados por erosões, e nesses casos, o solo grampeado verde funciona como medida de conter o talude de maneira a evitar deslizamentos de terra.

O Solo grampeado Verde em Congonhas pode ser utilizado em qualquer local que possui o objetivo de realizar a contenção do solo, seja em túneis, residências, indústrias ou ferrovias, o importante é utilizá-lo em locais que necessitem de uma contenção eficiente.

Essa técnica precisa ser desenvolvida a partir de um projeto de contenção, realizado por profissionais da área. Com o projeto em mãos, engenheiros e técnicos serão capazes de decidir qual será a forma adequada para a aplicação do solo grampeado verde.

Assim, essa aplicação pode envolver perfurações no solo, injeções de cimento por pressão e modificação do terreno. Por envolver tantos riscos, é imprescindível que a aplicação de Solo grampeado Verde em Congonhas seja realizada por uma empresa especializada e responsável.

Ficou na duvida ou interessado? Entre em contato conosco:

Perfuração em Rocha em Macacos

Quais são os novos desafios da engenharia civil no Brasil?

Perfuração em Rocha em Macacos é realizada utilizando uma perfuratriz pneumática com um martelo de fundo, que destruirá a rocha no interior da perfuração e removerá suas partículas para a saída do furo, utilizando para isso ar comprimido.

A perfuração de rochas consiste em um procedimento para reforçar e/ou chumbar uma rocha ou matacão que apresente risco de deslizamento.

perfuração de rochas é feita em regiões onde as formações geológicas podem atrapalhar o desenvolvimento de uma região. Ela é feita com equipamentos específicos e tem indicação principalmente para grandes profundidades.

Como é feito a Perfuração em Rochas em Macacos?

A execução de perfuração em rocha é feita após verificação de uma boa investigação geotécnica da obra e a verificação da necessidade de se ultrapassar o maciço rochoso.

Para execução da perfuração em rocha temos equipamentos manuais, carretas de perfuração, perfuratrizes hidráulicas e pneumáticas, tendo assim para cada obra de engenharia a solução mais adequada.

Para que serve a Perfuração em Rochas?

A perfuração em rocha destaca-se para os serviços de grampeamento de rocha, micro estaca, tirante, chumbador, contenção de talude e encosta.

O serviço de perfuração de rochas vem sendo muito solicitado tanto pelo setor público quanto pelo setor privado. Isso porque, para a realização de diversos projetos, esse procedimento se faz necessário, pois evita quaisquer tipos de acidentes, como um deslizamento, por exemplo. Assim, o procedimento para a perfuração de rochas somente é realizado após minucioso estudo.

É usado em bancadas com boa rampa de acesso e piso com bom nivelamento, por exemplo, podemos utilizar carretas de perfuração hidráulicas. Já para abertura de novas bancadas ou frentes de trabalho e bancadas com rampa de acesso ruim ou em que o piso da bancada tenha muito desnível, utilizamse equipamentos pneumáticos

Por tudo isso, e para que esse serviço seja realizado de maneira eficiente e com segurança, é fundamental a contratação de uma empresa especializada.

A perfuração de rochas, aqui na Talus Engenharia é realizada com especialista no setor, e garante:

  • Segurança;
  • Efetividade;
  • Qualidade;
  • Menor impacto ambiental.

O Brasil possui uma diversidade natural, onde se faz necessária a informação de qual o procedimento correto a seguir quando o assunto é perfuração de rochas. Desse modo, grandes rochas são preservadas com o objetivo de manter o meio ambiente o mais intocado possível. Por isso, quando realmente há a necessidade de efetuar a perfuração de rochas, é fundamental contar uma empresa especialista, garantindo que essa preservação aconteça.

Ficou na duvida ou interessado? Entre em contato conosco:

Perfuração de Rochas no bairro Savassi

Perfuração em Rocha

Perfuração em Rocha no bairro Savassi é realizada utilizando uma perfuratriz pneumática com um martelo de fundo, que destruirá a rocha no interior da perfuração e removerá suas partículas para a saída do furo, utilizando para isso ar comprimido.

A perfuração de rochas consiste em um procedimento para reforçar e/ou chumbar uma rocha ou matacão que apresente risco de deslizamento.

perfuração de rochas é feita em regiões onde as formações geológicas podem atrapalhar o desenvolvimento de uma região. Ela é feita com equipamentos específicos e tem indicação principalmente para grandes profundidades.

Como é feito a Perfuração em Rochas no bairro Savassi?

A execução de perfuração em rocha é feita após verificação de uma boa investigação geotécnica da obra e a verificação da necessidade de se ultrapassar o maciço rochoso.

Para execução da perfuração em rocha temos equipamentos manuais, carretas de perfuração, perfuratrizes hidráulicas e pneumáticas, tendo assim para cada obra de engenharia a solução mais adequada.

Para que serve a Perfuração em Rochas?

A perfuração em rocha destaca-se para os serviços de grampeamento de rocha, micro estaca, tirante, chumbador, contenção de talude e encosta.

O serviço de perfuração de rochas vem sendo muito solicitado tanto pelo setor público quanto pelo setor privado. Isso porque, para a realização de diversos projetos, esse procedimento se faz necessário, pois evita quaisquer tipos de acidentes, como um deslizamento, por exemplo. Assim, o procedimento para a perfuração de rochas somente é realizado após minucioso estudo.

É usado em bancadas com boa rampa de acesso e piso com bom nivelamento, por exemplo, podemos utilizar carretas de perfuração hidráulicas. Já para abertura de novas bancadas ou frentes de trabalho e bancadas com rampa de acesso ruim ou em que o piso da bancada tenha muito desnível, utilizamse equipamentos pneumáticos

Por tudo isso, e para que esse serviço seja realizado de maneira eficiente e com segurança, é fundamental a contratação de uma empresa especializada.

A perfuração de rochas, aqui na Talus Engenharia é realizada com especialista no setor, e garante:

  • Segurança;
  • Efetividade;
  • Qualidade;
  • Menor impacto ambiental.

O Brasil possui uma diversidade natural, onde se faz necessária a informação de qual o procedimento correto a seguir quando o assunto é perfuração de rochas. Desse modo, grandes rochas são preservadas com o objetivo de manter o meio ambiente o mais intocado possível. Por isso, quando realmente há a necessidade de efetuar a perfuração de rochas, é fundamental contar uma empresa especialista, garantindo que essa preservação aconteça.

Ficou na duvida ou interessado? Entre em contato conosco:

Concreto Projetado no bairro Ouro Preto

Concreto projetado no Santa Amélia

Esta procurando Concreto projetado no Ouro Preto? Lançado em alta velocidade sobre uma superfície e transportado pneumaticamente, além de ser auto-compactado e de grande resistência. Aqui no Talus Engenharia possuímos atendimento personalizado e serviço de alta qualidade. Sempre pensando nos nossos clientes!

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) define o concreto projetado como “um concreto com dimensão máxima do agregado superior a 4,8mm, transportado através de uma tubulação e projetado, sob pressão, a elevada velocidade, sobre uma superfície, sendo compactado simultaneamente”.

Essa técnica de concretagem é utilizada no mundo desde o início do século passado. Já no Brasil, o concreto projetado foi inserido na construção civil na década de 1960.

Aplicação do Concreto projetado no bairro Ouro Preto, técnica utilizada na construção civil brasileira desde a década de 1960.

Quais as principais características do concreto projetado na região do Ouro Preto?

O concreto projetado, também conhecido como gunita, é uma excelente opção na construção de túneis, estabilização de encostas, reforço estrutural, paredes de contenção, piscinas e paredes de concreto armado. É, ainda, o mais indicado para concretagens urgentes em socorro de estruturas que sofreram algum tipo de dano.

Quando comparado com o concreto tradicional, percebe-se que, apesar de a dosagem de cimento ser a mesma (variando entre 300 e 375kg/m³ e, em alguns casos, 500kg/m³), os  agregados são tamanhos diferentes, enquanto o projetado trabalha usualmente com Brita 0, o concreto tradicional pode empregar agregados maiores.

Isso ocorre para possibilitar a redução de cimento e a diminuição da retração hidráulica, permitindo que o concreto projetado seja utilizado como material estrutural.

Conforme a definição inicial deste artigo, a mistura é transportada por uma tubulação e propelida em velocidade e pressão elevadas sobre a superfície. O material lançado adere à superfície devido à força do impacto, sem a necessidade dos vibradores. Isso resulta em um concreto resistente e de alta compacidade.

Para aplicar o Concreto projetado no bairro Ouro Preto, é normal a utilização de um aditivo de acelerador de pega, assim como a utilização de fibras para concreto no meio da mistura, que podem substituir até mesmo as armaduras convencionais.

Em se tratando do cimento, não há restrições a serem adotadas. Já os agregados são: areia natural com módulo de finura entre 2,4 e 3,2, além de Brita 0 com Dmax de 12,5mm. Para finalizar, esse tipo de concreto requer os mesmos cuidados com a cura em relação ao concreto convencional.

Quais os tipos de concreto projetado existentes no Ouro Preto?

Os tipos de concreto projetado e o processo de projeção podem ser classificados segundo o tipo de equipamento envolvido. Isso é definido de acordo com as condições nas quais o material irá ser trabalhado.

Levando em conta os equipamentos disponíveis atualmente, é possível definir dois tipos básicos de processo de projeção: por via seca e por via úmida.

Aplicação por via seca

O processo de aplicação do concreto por via seca consiste na mistura do cimento com agregados. Essa mistura é conduzida sob pressão até o bico projetor, no qual recebe a água e os aditivos. Para um menor consumo de cimento, é indicado utilizar um mangote com maior extensão.

Por via seca, o concreto pode ser ajustado às diversas condições da superfície de aplicação, inclusive na presença de água. Entre as vantagens da aplicação via seca, estão:

  • Alcance da projeção do concreto de até 60 metros de distância;
  • Menor investimento total quando comparado à via úmida;
  • Fácil operação dos equipamentos;
  • Material mais compactado à superfície;
  • Grandes resistências devido ao baixo fator água/cimento.

Já entre os fatores negativos, destacam-se:

  • Consumo de ar comprimido, gerando maior esforço do compressor;
  • Perda de material que não impregna na superfície de aplicação;
  • Perda de agregado no momento do lançamento;
  • Geração de poeira.

A projeção via seca tem sido facilitada ao longo dos anos por meio de um processo que permite o pré-umedecimento da mistura durante o trajeto até o bico de projeção. O mangote é seccionado a mais ou menos cinco metros antes do bico, parte em que é conectado um dispositivo que permite a injeção da água.

Além de facilitar a aplicação em si, outra vantagem desse processo é a diminuição da quantidade de pó gerado na operação.

Preparação de bomba para a projeção de concreto via seca.

Aplicação por via úmida

O processo de aplicação por via úmida consiste em uma preparação da forma comum, misturando-se – antes do bombeamento – o cimento, agregados e água. Apenas o aditivo acelerador é adicionado, juntamente com o concreto fresco, na hora da projeção.

Ou seja, o concreto chega à bomba com toda a água necessária já misturada, sendo o ar comprimido utilizado para acelerar a projeção no bico. E, em alguns casos, para pressurização de câmaras da bomba de concreto ou mesmo para transporte da mistura úmida pelo mangote.

Entre as vantagens da aplicação por via úmida, estão:

  • Menos equipamentos no local de trabalho;
  • Menor desgaste dos equipamentos utilizados;
  • Menor consumo de ar comprimido;
  • Menor perda de material durante o lançamento;
  • Não produz poeira.

Já os fatores negativos dizem respeito às seguintes situações:

  • Dificuldade em obter maior resistência, já que o fator água/cimento é alto na mistura;
  • O concreto é menos compactado, devido ao fator água/cimento ser alto;
  • Quando aplicado em uma superfície com presença de água, possui maior dificuldade no controle de qualidade do material;
  • Pode produzir grande perda de material caso seja necessária a interrupção dos serviços.

A diferença desse processo em relação ao anterior é que, por via seca, utiliza-se tal aplicação onde há dificuldade de acesso ou quando a distância entre a usina de concreto e o canteiro é muito grande. No caso de não haver esse cenário, a escolha se dá pela projeção via úmida.

Projeção de concreto por via úmida tem menor consumo de ar comprimido em comparação com a via seca.

Quais as grandes vantagens desse concreto?

Algumas das maiores vantagens do concreto projetado em relação aos demais dizem respeito à maior facilidade de adesão e ganho de resistência em um período de tempo surpreendentemente curto.

Há, também, a dispensa do emprego de fôrmas para conter o selamento das superfícies. Isso ocorre devido à alta velocidade de lançamento e componentes especiais.

Onde ele é usado?

O concreto projetado é amplamente utilizado na estabilização de encostas, reforço estrutural (lajes, vigas, pilares), paredes de contenção, construção de piscinas e reservatórios, barragens e paredes de concreto armado.

Isso sem contar que se trata do material mais indicado para concretagens urgentes em socorro de estruturas que sofreram algum tipo de acidente. Mas, a principal aplicação acontece mesmo na construção de túneis.

Normalmente empregado em túneis com escavação manual ou túneis mineiros, o concreto projetado pode ser útil tanto nos casos de construções feitas em solos quanto em rochas. As aplicações vão desde o revestimento primário de túneis até o revestimento definitivo, em substituição à solução tradicional de revestimento final em concreto moldado in loco.

Na construção de grandes barragens, após escavação e limpeza da rocha, o leito e encostas são tratados com concreto projetado. O motivo diz respeito à boa aderência e pelo material preencher bem as cavidades, antes do lançamento do concreto convencional.

O concreto projetado pode também ser combinado com outras soluções, como revestimento para o solo grampeado, uma tecnologia construtiva desenvolvida inicialmente para a construção de galerias.

Concreto projetado aplicado em um túnel.

Quais são os maiores desafios do concreto projetado?

Podemos destacar as seguintes situações como sendo os maiores desafios do Concreto projetado no bairro Ouro Preto: homogeneidade, índice de reflexão, desplacamento e aderência.

Homogeneidade

A falta de homogeneidade do concreto projetado aparece devido ao próprio processo de projeção, a uma execução descuidada ou a uma falta de experiência da equipe. As causas principais da heterogeneidade do material, apresentando-se com defeitos, são:

  • Oclusão de material refletido;
  • Laminação;
  • Efeito de sombra;
  • Desplacamentos;
  • Alterações na superfície do material;
  • Variação da resistência à compressão do material.

Índices de reflexão

A reflexão é uma característica inerente ao processo de lançamento do concreto projetado. Ela é um dos fatores que determinam a viabilidade econômica do produto, pois o material refletido não pode ser reempregado na projeção.

Os fatores que determinam a maior ou menor reflexão vão desde o traço do concreto e qualidade dos materiais até as condições da superfície.

Os índices de reflexão podem ser minimizados com a incorporação de materiais finos, como a sílica ativa, que além de aumentar a resistência do concreto proporciona maior coesão, redução da dimensão do agregado e aumento do teor de aditivos aceleradores.

Desplacamento

Desplacamento é o fenômeno de destacamento de massa já projetada por falta de aderência. A falta de aderência ocorre devido à aplicação de concreto projetado sobre superfícies com materiais soltos, muito lisos, com camadas de carbonato de cálcio ou muito úmidos. Também pode ocorrer caso o concreto projetado tenha excesso de umidade.

Outra razão é que o concreto projetado normal dificilmente consegue atingir espessuras superiores a 7,5cm sem que haja o rompimento por falta de coesão. Assim, para atingir essas espessuras, utilizam-se várias passadas (o que aumenta a reflexão) ou recorre-se a aditivos aceleradores de pega ou emprego de sílica ativa.

O desplacamento gera um maior risco de acidentes no trabalho durante a projeção, visto que pode ocorrer queda de material sobre algum operário ou sobre o próprio mangoteiro.

Aderência

Como causa desplacamentos, a falta de aderência do concreto projetado causa problemas de custos, assim como de segurança estrutural e operacional. Ela pode ocorrer devido a substratos fracos, muito lisos ou, ainda, que estejam contaminados com material solto ou parcialmente endurecidos.

A pequena resistência do material nas primeiras horas após a projeção também é uma causa importante da falta de aderência. Isso pode desencadear fissuramento junto ao substrato, devido ao próprio peso da camada e à grande deformabilidade. A utilização de uma maior quantidade de aditivos aceleradores de pega seria a solução para essa questão.

Como aumentar a qualidade do concreto projetado?

O fator mais importante do Concreto projetado no bairro Ouro Preto é a coesão, que rege a facilidade que a massa tem de aderir ao substrato. Para que isso ocorra, deve-se aumentar a quantidade de finos do traço do concreto, adicionando a sílica ativa, que é cerca de cem vezes mais fina do que o cimento.

Além de aumentar a durabilidade do concreto, esse processo trará maior coesão, aderência e resistência. Essas questões irão ajudar a prevenir possíveis reações dos agregados com os álcalis do cimento, além de reduzir significativamente o calor de hidratação.

O uso da sílica ativa também tem como principais vantagens reduzir a permeabilidade do concreto, aumentar a resistividade e minimizar os índices de reflexão, além de funcionar como proteção a agentes agressivos.

Fibras de aço e de propileno também são muito utilizadas na elaboração de concretos projetados. Mesmo não tendo como função primordial a elevação da resistência, contribuem para a maior ductilidade do concreto, melhorando a distribuição de fissuras e reduzindo a abertura máxima delas.

Os principais cuidados na hora de usar esse concreto

Com relação à saúde, deve haver o cuidado de usar os EPIs. Afinal, há grande formação de poeira quando o concreto é inserido no equipamento de jateamento por via seca. Além disso, o cimento em si também é perigoso para a pele. Em termos gerais, deve-se sempre usar luvas, máscaras tipo PFF1 e calçados, para a neutralização dos agentes agressivos.

As operações de projeção de concreto incluem perigos como: ocorrências durante a projeção propriamente dita, reflexão, entupimentos, quebra de equipamentos, queimaduras causadas por materiais cáusticos e desplacamentos. No caso de via seca, há ainda a presença de partículas finas em suspensão.

Com relação ao concreto projetado em si, antes do início da aplicação, deve-se verificar se materiais e equipamentos estão em condições de permitir uma operação contínua e eficiente. Caso a preparação das superfícies tenha sido efetuada dias ou semanas antes da aplicação, o substrato deve ser novamente limpo e umedecido.

Vale ressaltar que tanto o concreto projetado por via seca quanto por via úmida utilizam diferentes tipos de equipamentos, com os quais a equipe básica deve estar familiarizada.

Ficou na duvida ou interessado? Entre em contato conosco:

Concreto projetado no bairro Goiânia

Concreto projetado no bairro Buritis

Concreto projetado no Goiânia é lançado em alta velocidade sobre uma superfície e transportado pneumaticamente, além de ser auto-compactado e de grande resistência.

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) define o concreto projetado como “um concreto com dimensão máxima do agregado superior a 4,8mm, transportado através de uma tubulação e projetado, sob pressão, a elevada velocidade, sobre uma superfície, sendo compactado simultaneamente”.

Essa técnica de concretagem é utilizada no mundo desde o início do século passado. Já no Brasil, o concreto projetado foi inserido na construção civil na década de 1960.

Aplicação do concreto projetado, técnica utilizada na construção civil brasileira desde a década de 1960.

Quais as principais características do concreto projetado na região do Goiânia?

O concreto projetado, também conhecido como gunita, é uma excelente opção na construção de túneis, estabilização de encostas, reforço estrutural, paredes de contenção, piscinas e paredes de concreto armado. É, ainda, o mais indicado para concretagens urgentes em socorro de estruturas que sofreram algum tipo de dano.

Quando comparado com o concreto tradicional, percebe-se que, apesar de a dosagem de cimento ser a mesma (variando entre 300 e 375kg/m³ e, em alguns casos, 500kg/m³), os  agregados são tamanhos diferentes, enquanto o projetado trabalha usualmente com Brita 0, o concreto tradicional pode empregar agregados maiores.

Isso ocorre para possibilitar a redução de cimento e a diminuição da retração hidráulica, permitindo que o concreto projetado seja utilizado como material estrutural.

Conforme a definição inicial deste artigo, a mistura é transportada por uma tubulação e propelida em velocidade e pressão elevadas sobre a superfície. O material lançado adere à superfície devido à força do impacto, sem a necessidade dos vibradores. Isso resulta em um concreto resistente e de alta compacidade.

Para aplicar o concreto projetado, é normal a utilização de um aditivo de acelerador de pega, assim como a utilização de fibras para concreto no meio da mistura, que podem substituir até mesmo as armaduras convencionais.

Em se tratando do cimento, não há restrições a serem adotadas. Já os agregados são: areia natural com módulo de finura entre 2,4 e 3,2, além de Brita 0 com Dmax de 12,5mm. Para finalizar, esse tipo de concreto requer os mesmos cuidados com a cura em relação ao concreto convencional.

Quais os tipos de concreto projetado existentes no Goiânia?

Os tipos de concreto projetado e o processo de projeção podem ser classificados segundo o tipo de equipamento envolvido. Isso é definido de acordo com as condições nas quais o material irá ser trabalhado.

Levando em conta os equipamentos disponíveis atualmente, é possível definir dois tipos básicos de processo de projeção: por via seca e por via úmida.

Aplicação por via seca

O processo de aplicação do concreto por via seca consiste na mistura do cimento com agregados. Essa mistura é conduzida sob pressão até o bico projetor, no qual recebe a água e os aditivos. Para um menor consumo de cimento, é indicado utilizar um mangote com maior extensão.

Por via seca, o concreto pode ser ajustado às diversas condições da superfície de aplicação, inclusive na presença de água. Entre as vantagens da aplicação via seca, estão:

  • Alcance da projeção do concreto de até 60 metros de distância;
  • Menor investimento total quando comparado à via úmida;
  • Fácil operação dos equipamentos;
  • Material mais compactado à superfície;
  • Grandes resistências devido ao baixo fator água/cimento.

Já entre os fatores negativos, destacam-se:

  • Consumo de ar comprimido, gerando maior esforço do compressor;
  • Perda de material que não impregna na superfície de aplicação;
  • Perda de agregado no momento do lançamento;
  • Geração de poeira.

A projeção via seca tem sido facilitada ao longo dos anos por meio de um processo que permite o pré-umedecimento da mistura durante o trajeto até o bico de projeção. O mangote é seccionado a mais ou menos cinco metros antes do bico, parte em que é conectado um dispositivo que permite a injeção da água.

Além de facilitar a aplicação em si, outra vantagem desse processo é a diminuição da quantidade de pó gerado na operação.

Preparação de bomba para a projeção de concreto via seca.

Aplicação por via úmida

O processo de aplicação por via úmida consiste em uma preparação da forma comum, misturando-se – antes do bombeamento – o cimento, agregados e água. Apenas o aditivo acelerador é adicionado, juntamente com o concreto fresco, na hora da projeção.

Ou seja, o concreto chega à bomba com toda a água necessária já misturada, sendo o ar comprimido utilizado para acelerar a projeção no bico. E, em alguns casos, para pressurização de câmaras da bomba de concreto ou mesmo para transporte da mistura úmida pelo mangote.

Entre as vantagens da aplicação por via úmida, estão:

  • Menos equipamentos no local de trabalho;
  • Menor desgaste dos equipamentos utilizados;
  • Menor consumo de ar comprimido;
  • Menor perda de material durante o lançamento;
  • Não produz poeira.

Já os fatores negativos dizem respeito às seguintes situações:

  • Dificuldade em obter maior resistência, já que o fator água/cimento é alto na mistura;
  • O concreto é menos compactado, devido ao fator água/cimento ser alto;
  • Quando aplicado em uma superfície com presença de água, possui maior dificuldade no controle de qualidade do material;
  • Pode produzir grande perda de material caso seja necessária a interrupção dos serviços.

A diferença desse processo em relação ao anterior é que, por via seca, utiliza-se tal aplicação onde há dificuldade de acesso ou quando a distância entre a usina de concreto e o canteiro é muito grande. No caso de não haver esse cenário, a escolha se dá pela projeção via úmida.

Projeção de concreto por via úmida tem menor consumo de ar comprimido em comparação com a via seca.

Quais as grandes vantagens desse concreto?

Algumas das maiores vantagens do concreto projetado em relação aos demais dizem respeito à maior facilidade de adesão e ganho de resistência em um período de tempo surpreendentemente curto.

Há, também, a dispensa do emprego de fôrmas para conter o selamento das superfícies. Isso ocorre devido à alta velocidade de lançamento e componentes especiais.

Onde ele é usado?

O concreto projetado é amplamente utilizado na estabilização de encostas, reforço estrutural (lajes, vigas, pilares), paredes de contenção, construção de piscinas e reservatórios, barragens e paredes de concreto armado.

Isso sem contar que se trata do material mais indicado para concretagens urgentes em socorro de estruturas que sofreram algum tipo de acidente. Mas, a principal aplicação acontece mesmo na construção de túneis.

Normalmente empregado em túneis com escavação manual ou túneis mineiros, o concreto projetado pode ser útil tanto nos casos de construções feitas em solos quanto em rochas. As aplicações vão desde o revestimento primário de túneis até o revestimento definitivo, em substituição à solução tradicional de revestimento final em concreto moldado in loco.

Na construção de grandes barragens, após escavação e limpeza da rocha, o leito e encostas são tratados com concreto projetado. O motivo diz respeito à boa aderência e pelo material preencher bem as cavidades, antes do lançamento do concreto convencional.

O concreto projetado pode também ser combinado com outras soluções, como revestimento para o solo grampeado, uma tecnologia construtiva desenvolvida inicialmente para a construção de galerias.

O que é Concreto Projetado? Quais são as principais Vantagens e indicações de uso?

Concreto projetado aplicado em um túnel.

Quais são os maiores desafios do concreto projetado?

Podemos destacar as seguintes situações como sendo os maiores desafios do concreto projetado: homogeneidade, índice de reflexão, desplacamento e aderência.

Homogeneidade

A falta de homogeneidade do concreto projetado aparece devido ao próprio processo de projeção, a uma execução descuidada ou a uma falta de experiência da equipe. As causas principais da heterogeneidade do material, apresentando-se com defeitos, são:

  • Oclusão de material refletido;
  • Laminação;
  • Efeito de sombra;
  • Desplacamentos;
  • Alterações na superfície do material;
  • Variação da resistência à compressão do material.

Índices de reflexão

A reflexão é uma característica inerente ao processo de lançamento do concreto projetado. Ela é um dos fatores que determinam a viabilidade econômica do produto, pois o material refletido não pode ser reempregado na projeção.

Os fatores que determinam a maior ou menor reflexão vão desde o traço do concreto e qualidade dos materiais até as condições da superfície.

Os índices de reflexão podem ser minimizados com a incorporação de materiais finos, como a sílica ativa, que além de aumentar a resistência do concreto proporciona maior coesão, redução da dimensão do agregado e aumento do teor de aditivos aceleradores.

Desplacamento

Desplacamento é o fenômeno de destacamento de massa já projetada por falta de aderência. A falta de aderência ocorre devido à aplicação de concreto projetado sobre superfícies com materiais soltos, muito lisos, com camadas de carbonato de cálcio ou muito úmidos. Também pode ocorrer caso o concreto projetado tenha excesso de umidade.

Outra razão é que o concreto projetado normal dificilmente consegue atingir espessuras superiores a 7,5cm sem que haja o rompimento por falta de coesão. Assim, para atingir essas espessuras, utilizam-se várias passadas (o que aumenta a reflexão) ou recorre-se a aditivos aceleradores de pega ou emprego de sílica ativa.

O desplacamento gera um maior risco de acidentes no trabalho durante a projeção, visto que pode ocorrer queda de material sobre algum operário ou sobre o próprio mangoteiro.

Aderência

Como causa desplacamentos, a falta de aderência do concreto projetado causa problemas de custos, assim como de segurança estrutural e operacional. Ela pode ocorrer devido a substratos fracos, muito lisos ou, ainda, que estejam contaminados com material solto ou parcialmente endurecidos.

A pequena resistência do material nas primeiras horas após a projeção também é uma causa importante da falta de aderência. Isso pode desencadear fissuramento junto ao substrato, devido ao próprio peso da camada e à grande deformabilidade. A utilização de uma maior quantidade de aditivos aceleradores de pega seria a solução para essa questão.

Como aumentar a qualidade do concreto projetado?

O fator mais importante do concreto projetado é a coesão, que rege a facilidade que a massa tem de aderir ao substrato. Para que isso ocorra, deve-se aumentar a quantidade de finos do traço do concreto, adicionando a sílica ativa, que é cerca de cem vezes mais fina do que o cimento.

Além de aumentar a durabilidade do concreto, esse processo trará maior coesão, aderência e resistência. Essas questões irão ajudar a prevenir possíveis reações dos agregados com os álcalis do cimento, além de reduzir significativamente o calor de hidratação.

O uso da sílica ativa também tem como principais vantagens reduzir a permeabilidade do concreto, aumentar a resistividade e minimizar os índices de reflexão, além de funcionar como proteção a agentes agressivos.

Fibras de aço e de propileno também são muito utilizadas na elaboração de concretos projetados. Mesmo não tendo como função primordial a elevação da resistência, contribuem para a maior ductilidade do concreto, melhorando a distribuição de fissuras e reduzindo a abertura máxima delas.

Os principais cuidados na hora de usar esse concreto

Com relação à saúde, deve haver o cuidado de usar os EPIs. Afinal, há grande formação de poeira quando o concreto é inserido no equipamento de jateamento por via seca. Além disso, o cimento em si também é perigoso para a pele. Em termos gerais, deve-se sempre usar luvas, máscaras tipo PFF1 e calçados, para a neutralização dos agentes agressivos.

As operações de projeção de concreto incluem perigos como: ocorrências durante a projeção propriamente dita, reflexão, entupimentos, quebra de equipamentos, queimaduras causadas por materiais cáusticos e desplacamentos. No caso de via seca, há ainda a presença de partículas finas em suspensão.

Com relação ao concreto projetado em si, antes do início da aplicação, deve-se verificar se materiais e equipamentos estão em condições de permitir uma operação contínua e eficiente. Caso a preparação das superfícies tenha sido efetuada dias ou semanas antes da aplicação, o substrato deve ser novamente limpo e umedecido.

Vale ressaltar que tanto o concreto projetado por via seca quanto por via úmida utilizam diferentes tipos de equipamentos, com os quais a equipe básica deve estar familiarizada.

Concreto projetado no bairro Lourdes

Concreto projetado no bairro Buritis

Concreto projetado no Lourdes é lançado em alta velocidade sobre uma superfície e transportado pneumaticamente, além de ser auto-compactado e de grande resistência.

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) define o concreto projetado como “um concreto com dimensão máxima do agregado superior a 4,8mm, transportado através de uma tubulação e projetado, sob pressão, a elevada velocidade, sobre uma superfície, sendo compactado simultaneamente”.

Essa técnica de concretagem é utilizada no mundo desde o início do século passado. Já no Brasil, o concreto projetado foi inserido na construção civil na década de 1960.

Aplicação do concreto projetado, técnica utilizada na construção civil brasileira desde a década de 1960.

Quais as principais características do concreto projetado na região do Lourdes?

O concreto projetado, também conhecido como gunita, é uma excelente opção na construção de túneis, estabilização de encostas, reforço estrutural, paredes de contenção, piscinas e paredes de concreto armado. É, ainda, o mais indicado para concretagens urgentes em socorro de estruturas que sofreram algum tipo de dano.

Quando comparado com o concreto tradicional, percebe-se que, apesar de a dosagem de cimento ser a mesma (variando entre 300 e 375kg/m³ e, em alguns casos, 500kg/m³), os  agregados são tamanhos diferentes, enquanto o projetado trabalha usualmente com Brita 0, o concreto tradicional pode empregar agregados maiores.

Isso ocorre para possibilitar a redução de cimento e a diminuição da retração hidráulica, permitindo que o concreto projetado seja utilizado como material estrutural.

Conforme a definição inicial deste artigo, a mistura é transportada por uma tubulação e propelida em velocidade e pressão elevadas sobre a superfície. O material lançado adere à superfície devido à força do impacto, sem a necessidade dos vibradores. Isso resulta em um concreto resistente e de alta compacidade.

Para aplicar o concreto projetado, é normal a utilização de um aditivo de acelerador de pega, assim como a utilização de fibras para concreto no meio da mistura, que podem substituir até mesmo as armaduras convencionais.

Em se tratando do cimento, não há restrições a serem adotadas. Já os agregados são: areia natural com módulo de finura entre 2,4 e 3,2, além de Brita 0 com Dmax de 12,5mm. Para finalizar, esse tipo de concreto requer os mesmos cuidados com a cura em relação ao concreto convencional.

Quais os tipos de concreto projetado existentes no Lourdes?

Os tipos de concreto projetado e o processo de projeção podem ser classificados segundo o tipo de equipamento envolvido. Isso é definido de acordo com as condições nas quais o material irá ser trabalhado.

Levando em conta os equipamentos disponíveis atualmente, é possível definir dois tipos básicos de processo de projeção: por via seca e por via úmida.

Aplicação por via seca

O processo de aplicação do concreto por via seca consiste na mistura do cimento com agregados. Essa mistura é conduzida sob pressão até o bico projetor, no qual recebe a água e os aditivos. Para um menor consumo de cimento, é indicado utilizar um mangote com maior extensão.

Por via seca, o concreto pode ser ajustado às diversas condições da superfície de aplicação, inclusive na presença de água. Entre as vantagens da aplicação via seca, estão:

  • Alcance da projeção do concreto de até 60 metros de distância;
  • Menor investimento total quando comparado à via úmida;
  • Fácil operação dos equipamentos;
  • Material mais compactado à superfície;
  • Grandes resistências devido ao baixo fator água/cimento.

Já entre os fatores negativos, destacam-se:

  • Consumo de ar comprimido, gerando maior esforço do compressor;
  • Perda de material que não impregna na superfície de aplicação;
  • Perda de agregado no momento do lançamento;
  • Geração de poeira.

A projeção via seca tem sido facilitada ao longo dos anos por meio de um processo que permite o pré-umedecimento da mistura durante o trajeto até o bico de projeção. O mangote é seccionado a mais ou menos cinco metros antes do bico, parte em que é conectado um dispositivo que permite a injeção da água.

Além de facilitar a aplicação em si, outra vantagem desse processo é a diminuição da quantidade de pó gerado na operação.

Preparação de bomba para a projeção de concreto via seca.

Aplicação por via úmida

O processo de aplicação por via úmida consiste em uma preparação da forma comum, misturando-se – antes do bombeamento – o cimento, agregados e água. Apenas o aditivo acelerador é adicionado, juntamente com o concreto fresco, na hora da projeção.

Ou seja, o concreto chega à bomba com toda a água necessária já misturada, sendo o ar comprimido utilizado para acelerar a projeção no bico. E, em alguns casos, para pressurização de câmaras da bomba de concreto ou mesmo para transporte da mistura úmida pelo mangote.

Entre as vantagens da aplicação por via úmida, estão:

  • Menos equipamentos no local de trabalho;
  • Menor desgaste dos equipamentos utilizados;
  • Menor consumo de ar comprimido;
  • Menor perda de material durante o lançamento;
  • Não produz poeira.

Já os fatores negativos dizem respeito às seguintes situações:

  • Dificuldade em obter maior resistência, já que o fator água/cimento é alto na mistura;
  • O concreto é menos compactado, devido ao fator água/cimento ser alto;
  • Quando aplicado em uma superfície com presença de água, possui maior dificuldade no controle de qualidade do material;
  • Pode produzir grande perda de material caso seja necessária a interrupção dos serviços.

A diferença desse processo em relação ao anterior é que, por via seca, utiliza-se tal aplicação onde há dificuldade de acesso ou quando a distância entre a usina de concreto e o canteiro é muito grande. No caso de não haver esse cenário, a escolha se dá pela projeção via úmida.

Projeção de concreto por via úmida tem menor consumo de ar comprimido em comparação com a via seca.

Quais as grandes vantagens desse concreto?

Algumas das maiores vantagens do concreto projetado em relação aos demais dizem respeito à maior facilidade de adesão e ganho de resistência em um período de tempo surpreendentemente curto.

Há, também, a dispensa do emprego de fôrmas para conter o selamento das superfícies. Isso ocorre devido à alta velocidade de lançamento e componentes especiais.

Onde ele é usado?

O concreto projetado é amplamente utilizado na estabilização de encostas, reforço estrutural (lajes, vigas, pilares), paredes de contenção, construção de piscinas e reservatórios, barragens e paredes de concreto armado.

Isso sem contar que se trata do material mais indicado para concretagens urgentes em socorro de estruturas que sofreram algum tipo de acidente. Mas, a principal aplicação acontece mesmo na construção de túneis.

Normalmente empregado em túneis com escavação manual ou túneis mineiros, o concreto projetado pode ser útil tanto nos casos de construções feitas em solos quanto em rochas. As aplicações vão desde o revestimento primário de túneis até o revestimento definitivo, em substituição à solução tradicional de revestimento final em concreto moldado in loco.

Na construção de grandes barragens, após escavação e limpeza da rocha, o leito e encostas são tratados com concreto projetado. O motivo diz respeito à boa aderência e pelo material preencher bem as cavidades, antes do lançamento do concreto convencional.

O concreto projetado pode também ser combinado com outras soluções, como revestimento para o solo grampeado, uma tecnologia construtiva desenvolvida inicialmente para a construção de galerias.

O que é Concreto Projetado? Quais são as principais Vantagens e indicações de uso?

Concreto projetado aplicado em um túnel.

Quais são os maiores desafios do concreto projetado?

Podemos destacar as seguintes situações como sendo os maiores desafios do concreto projetado: homogeneidade, índice de reflexão, desplacamento e aderência.

Homogeneidade

A falta de homogeneidade do concreto projetado aparece devido ao próprio processo de projeção, a uma execução descuidada ou a uma falta de experiência da equipe. As causas principais da heterogeneidade do material, apresentando-se com defeitos, são:

  • Oclusão de material refletido;
  • Laminação;
  • Efeito de sombra;
  • Desplacamentos;
  • Alterações na superfície do material;
  • Variação da resistência à compressão do material.

Índices de reflexão

A reflexão é uma característica inerente ao processo de lançamento do concreto projetado. Ela é um dos fatores que determinam a viabilidade econômica do produto, pois o material refletido não pode ser reempregado na projeção.

Os fatores que determinam a maior ou menor reflexão vão desde o traço do concreto e qualidade dos materiais até as condições da superfície.

Os índices de reflexão podem ser minimizados com a incorporação de materiais finos, como a sílica ativa, que além de aumentar a resistência do concreto proporciona maior coesão, redução da dimensão do agregado e aumento do teor de aditivos aceleradores.

Desplacamento

Desplacamento é o fenômeno de destacamento de massa já projetada por falta de aderência. A falta de aderência ocorre devido à aplicação de concreto projetado sobre superfícies com materiais soltos, muito lisos, com camadas de carbonato de cálcio ou muito úmidos. Também pode ocorrer caso o concreto projetado tenha excesso de umidade.

Outra razão é que o concreto projetado normal dificilmente consegue atingir espessuras superiores a 7,5cm sem que haja o rompimento por falta de coesão. Assim, para atingir essas espessuras, utilizam-se várias passadas (o que aumenta a reflexão) ou recorre-se a aditivos aceleradores de pega ou emprego de sílica ativa.

O desplacamento gera um maior risco de acidentes no trabalho durante a projeção, visto que pode ocorrer queda de material sobre algum operário ou sobre o próprio mangoteiro.

Aderência

Como causa desplacamentos, a falta de aderência do concreto projetado causa problemas de custos, assim como de segurança estrutural e operacional. Ela pode ocorrer devido a substratos fracos, muito lisos ou, ainda, que estejam contaminados com material solto ou parcialmente endurecidos.

A pequena resistência do material nas primeiras horas após a projeção também é uma causa importante da falta de aderência. Isso pode desencadear fissuramento junto ao substrato, devido ao próprio peso da camada e à grande deformabilidade. A utilização de uma maior quantidade de aditivos aceleradores de pega seria a solução para essa questão.

Como aumentar a qualidade do concreto projetado?

O fator mais importante do concreto projetado é a coesão, que rege a facilidade que a massa tem de aderir ao substrato. Para que isso ocorra, deve-se aumentar a quantidade de finos do traço do concreto, adicionando a sílica ativa, que é cerca de cem vezes mais fina do que o cimento.

Além de aumentar a durabilidade do concreto, esse processo trará maior coesão, aderência e resistência. Essas questões irão ajudar a prevenir possíveis reações dos agregados com os álcalis do cimento, além de reduzir significativamente o calor de hidratação.

O uso da sílica ativa também tem como principais vantagens reduzir a permeabilidade do concreto, aumentar a resistividade e minimizar os índices de reflexão, além de funcionar como proteção a agentes agressivos.

Fibras de aço e de propileno também são muito utilizadas na elaboração de concretos projetados. Mesmo não tendo como função primordial a elevação da resistência, contribuem para a maior ductilidade do concreto, melhorando a distribuição de fissuras e reduzindo a abertura máxima delas.

Os principais cuidados na hora de usar esse concreto

Com relação à saúde, deve haver o cuidado de usar os EPIs. Afinal, há grande formação de poeira quando o concreto é inserido no equipamento de jateamento por via seca. Além disso, o cimento em si também é perigoso para a pele. Em termos gerais, deve-se sempre usar luvas, máscaras tipo PFF1 e calçados, para a neutralização dos agentes agressivos.

As operações de projeção de concreto incluem perigos como: ocorrências durante a projeção propriamente dita, reflexão, entupimentos, quebra de equipamentos, queimaduras causadas por materiais cáusticos e desplacamentos. No caso de via seca, há ainda a presença de partículas finas em suspensão.

Com relação ao concreto projetado em si, antes do início da aplicação, deve-se verificar se materiais e equipamentos estão em condições de permitir uma operação contínua e eficiente. Caso a preparação das superfícies tenha sido efetuada dias ou semanas antes da aplicação, o substrato deve ser novamente limpo e umedecido.

Vale ressaltar que tanto o concreto projetado por via seca quanto por via úmida utilizam diferentes tipos de equipamentos, com os quais a equipe básica deve estar familiarizada.

Concreto projetado no bairro Sion

Concreto projetado no bairro Santa Mônica

Concreto projetado no Sioné lançado em alta velocidade sobre uma superfície e transportado pneumaticamente, além de ser auto-compactado e de grande resistência.

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) define o concreto projetado como “um concreto com dimensão máxima do agregado superior a 4,8mm, transportado através de uma tubulação e projetado, sob pressão, a elevada velocidade, sobre uma superfície, sendo compactado simultaneamente”.

Essa técnica de concretagem é utilizada no mundo desde o início do século passado. Já no Brasil, o concreto projetado foi inserido na construção civil na década de 1960.

Aplicação do concreto projetado, técnica utilizada na construção civil brasileira desde a década de 1960.

Quais as principais características do concreto projetado na região do Sion?

O concreto projetado, também conhecido como gunita, é uma excelente opção na construção de túneis, estabilização de encostas, reforço estrutural, paredes de contenção, piscinas e paredes de concreto armado. É, ainda, o mais indicado para concretagens urgentes em socorro de estruturas que sofreram algum tipo de dano.

Quando comparado com o concreto tradicional, percebe-se que, apesar de a dosagem de cimento ser a mesma (variando entre 300 e 375kg/m³ e, em alguns casos, 500kg/m³), os  agregados são tamanhos diferentes, enquanto o projetado trabalha usualmente com Brita 0, o concreto tradicional pode empregar agregados maiores.

Isso ocorre para possibilitar a redução de cimento e a diminuição da retração hidráulica, permitindo que o concreto projetado seja utilizado como material estrutural.

Conforme a definição inicial deste artigo, a mistura é transportada por uma tubulação e propelida em velocidade e pressão elevadas sobre a superfície. O material lançado adere à superfície devido à força do impacto, sem a necessidade dos vibradores. Isso resulta em um concreto resistente e de alta compacidade.

Para aplicar o concreto projetado, é normal a utilização de um aditivo de acelerador de pega, assim como a utilização de fibras para concreto no meio da mistura, que podem substituir até mesmo as armaduras convencionais.

Em se tratando do cimento, não há restrições a serem adotadas. Já os agregados são: areia natural com módulo de finura entre 2,4 e 3,2, além de Brita 0 com Dmax de 12,5mm. Para finalizar, esse tipo de concreto requer os mesmos cuidados com a cura em relação ao concreto convencional.

Quais os tipos de concreto projetado existentes no Sion?

Os tipos de concreto projetado e o processo de projeção podem ser classificados segundo o tipo de equipamento envolvido. Isso é definido de acordo com as condições nas quais o material irá ser trabalhado.

Levando em conta os equipamentos disponíveis atualmente, é possível definir dois tipos básicos de processo de projeção: por via seca e por via úmida.

Aplicação por via seca

O processo de aplicação do concreto por via seca consiste na mistura do cimento com agregados. Essa mistura é conduzida sob pressão até o bico projetor, no qual recebe a água e os aditivos. Para um menor consumo de cimento, é indicado utilizar um mangote com maior extensão.

Por via seca, o concreto pode ser ajustado às diversas condições da superfície de aplicação, inclusive na presença de água. Entre as vantagens da aplicação via seca, estão:

  • Alcance da projeção do concreto de até 60 metros de distância;
  • Menor investimento total quando comparado à via úmida;
  • Fácil operação dos equipamentos;
  • Material mais compactado à superfície;
  • Grandes resistências devido ao baixo fator água/cimento.

Já entre os fatores negativos, destacam-se:

  • Consumo de ar comprimido, gerando maior esforço do compressor;
  • Perda de material que não impregna na superfície de aplicação;
  • Perda de agregado no momento do lançamento;
  • Geração de poeira.

A projeção via seca tem sido facilitada ao longo dos anos por meio de um processo que permite o pré-umedecimento da mistura durante o trajeto até o bico de projeção. O mangote é seccionado a mais ou menos cinco metros antes do bico, parte em que é conectado um dispositivo que permite a injeção da água.

Além de facilitar a aplicação em si, outra vantagem desse processo é a diminuição da quantidade de pó gerado na operação.

Preparação de bomba para a projeção de concreto via seca.

Aplicação por via úmida

O processo de aplicação por via úmida consiste em uma preparação da forma comum, misturando-se – antes do bombeamento – o cimento, agregados e água. Apenas o aditivo acelerador é adicionado, juntamente com o concreto fresco, na hora da projeção.

Ou seja, o concreto chega à bomba com toda a água necessária já misturada, sendo o ar comprimido utilizado para acelerar a projeção no bico. E, em alguns casos, para pressurização de câmaras da bomba de concreto ou mesmo para transporte da mistura úmida pelo mangote.

Entre as vantagens da aplicação por via úmida, estão:

  • Menos equipamentos no local de trabalho;
  • Menor desgaste dos equipamentos utilizados;
  • Menor consumo de ar comprimido;
  • Menor perda de material durante o lançamento;
  • Não produz poeira.

Já os fatores negativos dizem respeito às seguintes situações:

  • Dificuldade em obter maior resistência, já que o fator água/cimento é alto na mistura;
  • O concreto é menos compactado, devido ao fator água/cimento ser alto;
  • Quando aplicado em uma superfície com presença de água, possui maior dificuldade no controle de qualidade do material;
  • Pode produzir grande perda de material caso seja necessária a interrupção dos serviços.

A diferença desse processo em relação ao anterior é que, por via seca, utiliza-se tal aplicação onde há dificuldade de acesso ou quando a distância entre a usina de concreto e o canteiro é muito grande. No caso de não haver esse cenário, a escolha se dá pela projeção via úmida.

Projeção de concreto por via úmida tem menor consumo de ar comprimido em comparação com a via seca.

Quais as grandes vantagens desse concreto?

Algumas das maiores vantagens do concreto projetado em relação aos demais dizem respeito à maior facilidade de adesão e ganho de resistência em um período de tempo surpreendentemente curto.

Há, também, a dispensa do emprego de fôrmas para conter o selamento das superfícies. Isso ocorre devido à alta velocidade de lançamento e componentes especiais.

Onde ele é usado?

O concreto projetado é amplamente utilizado na estabilização de encostas, reforço estrutural (lajes, vigas, pilares), paredes de contenção, construção de piscinas e reservatórios, barragens e paredes de concreto armado.

Isso sem contar que se trata do material mais indicado para concretagens urgentes em socorro de estruturas que sofreram algum tipo de acidente. Mas, a principal aplicação acontece mesmo na construção de túneis.

Normalmente empregado em túneis com escavação manual ou túneis mineiros, o concreto projetado pode ser útil tanto nos casos de construções feitas em solos quanto em rochas. As aplicações vão desde o revestimento primário de túneis até o revestimento definitivo, em substituição à solução tradicional de revestimento final em concreto moldado in loco.

Na construção de grandes barragens, após escavação e limpeza da rocha, o leito e encostas são tratados com concreto projetado. O motivo diz respeito à boa aderência e pelo material preencher bem as cavidades, antes do lançamento do concreto convencional.

O concreto projetado pode também ser combinado com outras soluções, como revestimento para o solo grampeado, uma tecnologia construtiva desenvolvida inicialmente para a construção de galerias.

O que é Concreto Projetado? Quais são as principais Vantagens e indicações de uso?

Concreto projetado aplicado em um túnel.

Quais são os maiores desafios do concreto projetado?

Podemos destacar as seguintes situações como sendo os maiores desafios do concreto projetado: homogeneidade, índice de reflexão, desplacamento e aderência.

Homogeneidade

A falta de homogeneidade do concreto projetado aparece devido ao próprio processo de projeção, a uma execução descuidada ou a uma falta de experiência da equipe. As causas principais da heterogeneidade do material, apresentando-se com defeitos, são:

  • Oclusão de material refletido;
  • Laminação;
  • Efeito de sombra;
  • Desplacamentos;
  • Alterações na superfície do material;
  • Variação da resistência à compressão do material.

Índices de reflexão

A reflexão é uma característica inerente ao processo de lançamento do concreto projetado. Ela é um dos fatores que determinam a viabilidade econômica do produto, pois o material refletido não pode ser reempregado na projeção.

Os fatores que determinam a maior ou menor reflexão vão desde o traço do concreto e qualidade dos materiais até as condições da superfície.

Os índices de reflexão podem ser minimizados com a incorporação de materiais finos, como a sílica ativa, que além de aumentar a resistência do concreto proporciona maior coesão, redução da dimensão do agregado e aumento do teor de aditivos aceleradores.

Desplacamento

Desplacamento é o fenômeno de destacamento de massa já projetada por falta de aderência. A falta de aderência ocorre devido à aplicação de concreto projetado sobre superfícies com materiais soltos, muito lisos, com camadas de carbonato de cálcio ou muito úmidos. Também pode ocorrer caso o concreto projetado tenha excesso de umidade.

Outra razão é que o concreto projetado normal dificilmente consegue atingir espessuras superiores a 7,5cm sem que haja o rompimento por falta de coesão. Assim, para atingir essas espessuras, utilizam-se várias passadas (o que aumenta a reflexão) ou recorre-se a aditivos aceleradores de pega ou emprego de sílica ativa.

O desplacamento gera um maior risco de acidentes no trabalho durante a projeção, visto que pode ocorrer queda de material sobre algum operário ou sobre o próprio mangoteiro.

Aderência

Como causa desplacamentos, a falta de aderência do concreto projetado causa problemas de custos, assim como de segurança estrutural e operacional. Ela pode ocorrer devido a substratos fracos, muito lisos ou, ainda, que estejam contaminados com material solto ou parcialmente endurecidos.

A pequena resistência do material nas primeiras horas após a projeção também é uma causa importante da falta de aderência. Isso pode desencadear fissuramento junto ao substrato, devido ao próprio peso da camada e à grande deformabilidade. A utilização de uma maior quantidade de aditivos aceleradores de pega seria a solução para essa questão.

Como aumentar a qualidade do concreto projetado?

O fator mais importante do concreto projetado é a coesão, que rege a facilidade que a massa tem de aderir ao substrato. Para que isso ocorra, deve-se aumentar a quantidade de finos do traço do concreto, adicionando a sílica ativa, que é cerca de cem vezes mais fina do que o cimento.

Além de aumentar a durabilidade do concreto, esse processo trará maior coesão, aderência e resistência. Essas questões irão ajudar a prevenir possíveis reações dos agregados com os álcalis do cimento, além de reduzir significativamente o calor de hidratação.

O uso da sílica ativa também tem como principais vantagens reduzir a permeabilidade do concreto, aumentar a resistividade e minimizar os índices de reflexão, além de funcionar como proteção a agentes agressivos.

Fibras de aço e de propileno também são muito utilizadas na elaboração de concretos projetados. Mesmo não tendo como função primordial a elevação da resistência, contribuem para a maior ductilidade do concreto, melhorando a distribuição de fissuras e reduzindo a abertura máxima delas.

Os principais cuidados na hora de usar esse concreto

Com relação à saúde, deve haver o cuidado de usar os EPIs. Afinal, há grande formação de poeira quando o concreto é inserido no equipamento de jateamento por via seca. Além disso, o cimento em si também é perigoso para a pele. Em termos gerais, deve-se sempre usar luvas, máscaras tipo PFF1 e calçados, para a neutralização dos agentes agressivos.

As operações de projeção de concreto incluem perigos como: ocorrências durante a projeção propriamente dita, reflexão, entupimentos, quebra de equipamentos, queimaduras causadas por materiais cáusticos e desplacamentos. No caso de via seca, há ainda a presença de partículas finas em suspensão.

Com relação ao concreto projetado em si, antes do início da aplicação, deve-se verificar se materiais e equipamentos estão em condições de permitir uma operação contínua e eficiente. Caso a preparação das superfícies tenha sido efetuada dias ou semanas antes da aplicação, o substrato deve ser novamente limpo e umedecido.

Vale ressaltar que tanto o concreto projetado por via seca quanto por via úmida utilizam diferentes tipos de equipamentos, com os quais a equipe básica deve estar familiarizada.

Concreto projetado no bairro Coração de Jesus

Concreto projetado no bairro Buritis

Concreto projetado no Coração de Jesus é lançado em alta velocidade sobre uma superfície e transportado pneumaticamente, além de ser auto-compactado e de grande resistência.

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) define o concreto projetado como “um concreto com dimensão máxima do agregado superior a 4,8mm, transportado através de uma tubulação e projetado, sob pressão, a elevada velocidade, sobre uma superfície, sendo compactado simultaneamente”.

Essa técnica de concretagem é utilizada no mundo desde o início do século passado. Já no Brasil, o concreto projetado foi inserido na construção civil na década de 1960.

Aplicação do concreto projetado, técnica utilizada na construção civil brasileira desde a década de 1960.

Quais as principais características do concreto projetado na região do Coração de Jesus?

O concreto projetado, também conhecido como gunita, é uma excelente opção na construção de túneis, estabilização de encostas, reforço estrutural, paredes de contenção, piscinas e paredes de concreto armado. É, ainda, o mais indicado para concretagens urgentes em socorro de estruturas que sofreram algum tipo de dano.

Quando comparado com o concreto tradicional, percebe-se que, apesar de a dosagem de cimento ser a mesma (variando entre 300 e 375kg/m³ e, em alguns casos, 500kg/m³), os  agregados são tamanhos diferentes, enquanto o projetado trabalha usualmente com Brita 0, o concreto tradicional pode empregar agregados maiores.

Isso ocorre para possibilitar a redução de cimento e a diminuição da retração hidráulica, permitindo que o concreto projetado seja utilizado como material estrutural.

Conforme a definição inicial deste artigo, a mistura é transportada por uma tubulação e propelida em velocidade e pressão elevadas sobre a superfície. O material lançado adere à superfície devido à força do impacto, sem a necessidade dos vibradores. Isso resulta em um concreto resistente e de alta compacidade.

Para aplicar o concreto projetado, é normal a utilização de um aditivo de acelerador de pega, assim como a utilização de fibras para concreto no meio da mistura, que podem substituir até mesmo as armaduras convencionais.

Em se tratando do cimento, não há restrições a serem adotadas. Já os agregados são: areia natural com módulo de finura entre 2,4 e 3,2, além de Brita 0 com Dmax de 12,5mm. Para finalizar, esse tipo de concreto requer os mesmos cuidados com a cura em relação ao concreto convencional.

Quais os tipos de concreto projetado existentes no Coração de Jesus?

Os tipos de concreto projetado e o processo de projeção podem ser classificados segundo o tipo de equipamento envolvido. Isso é definido de acordo com as condições nas quais o material irá ser trabalhado.

Levando em conta os equipamentos disponíveis atualmente, é possível definir dois tipos básicos de processo de projeção: por via seca e por via úmida.

Aplicação por via seca

O processo de aplicação do concreto por via seca consiste na mistura do cimento com agregados. Essa mistura é conduzida sob pressão até o bico projetor, no qual recebe a água e os aditivos. Para um menor consumo de cimento, é indicado utilizar um mangote com maior extensão.

Por via seca, o concreto pode ser ajustado às diversas condições da superfície de aplicação, inclusive na presença de água. Entre as vantagens da aplicação via seca, estão:

  • Alcance da projeção do concreto de até 60 metros de distância;
  • Menor investimento total quando comparado à via úmida;
  • Fácil operação dos equipamentos;
  • Material mais compactado à superfície;
  • Grandes resistências devido ao baixo fator água/cimento.

Já entre os fatores negativos, destacam-se:

  • Consumo de ar comprimido, gerando maior esforço do compressor;
  • Perda de material que não impregna na superfície de aplicação;
  • Perda de agregado no momento do lançamento;
  • Geração de poeira.

A projeção via seca tem sido facilitada ao longo dos anos por meio de um processo que permite o pré-umedecimento da mistura durante o trajeto até o bico de projeção. O mangote é seccionado a mais ou menos cinco metros antes do bico, parte em que é conectado um dispositivo que permite a injeção da água.

Além de facilitar a aplicação em si, outra vantagem desse processo é a diminuição da quantidade de pó gerado na operação.

Preparação de bomba para a projeção de concreto via seca.

Aplicação por via úmida

O processo de aplicação por via úmida consiste em uma preparação da forma comum, misturando-se – antes do bombeamento – o cimento, agregados e água. Apenas o aditivo acelerador é adicionado, juntamente com o concreto fresco, na hora da projeção.

Ou seja, o concreto chega à bomba com toda a água necessária já misturada, sendo o ar comprimido utilizado para acelerar a projeção no bico. E, em alguns casos, para pressurização de câmaras da bomba de concreto ou mesmo para transporte da mistura úmida pelo mangote.

Entre as vantagens da aplicação por via úmida, estão:

  • Menos equipamentos no local de trabalho;
  • Menor desgaste dos equipamentos utilizados;
  • Menor consumo de ar comprimido;
  • Menor perda de material durante o lançamento;
  • Não produz poeira.

Já os fatores negativos dizem respeito às seguintes situações:

  • Dificuldade em obter maior resistência, já que o fator água/cimento é alto na mistura;
  • O concreto é menos compactado, devido ao fator água/cimento ser alto;
  • Quando aplicado em uma superfície com presença de água, possui maior dificuldade no controle de qualidade do material;
  • Pode produzir grande perda de material caso seja necessária a interrupção dos serviços.

A diferença desse processo em relação ao anterior é que, por via seca, utiliza-se tal aplicação onde há dificuldade de acesso ou quando a distância entre a usina de concreto e o canteiro é muito grande. No caso de não haver esse cenário, a escolha se dá pela projeção via úmida.

Projeção de concreto por via úmida tem menor consumo de ar comprimido em comparação com a via seca.

Quais as grandes vantagens desse concreto?

Algumas das maiores vantagens do concreto projetado em relação aos demais dizem respeito à maior facilidade de adesão e ganho de resistência em um período de tempo surpreendentemente curto.

Há, também, a dispensa do emprego de fôrmas para conter o selamento das superfícies. Isso ocorre devido à alta velocidade de lançamento e componentes especiais.

Onde ele é usado?

O concreto projetado é amplamente utilizado na estabilização de encostas, reforço estrutural (lajes, vigas, pilares), paredes de contenção, construção de piscinas e reservatórios, barragens e paredes de concreto armado.

Isso sem contar que se trata do material mais indicado para concretagens urgentes em socorro de estruturas que sofreram algum tipo de acidente. Mas, a principal aplicação acontece mesmo na construção de túneis.

Normalmente empregado em túneis com escavação manual ou túneis mineiros, o concreto projetado pode ser útil tanto nos casos de construções feitas em solos quanto em rochas. As aplicações vão desde o revestimento primário de túneis até o revestimento definitivo, em substituição à solução tradicional de revestimento final em concreto moldado in loco.

Na construção de grandes barragens, após escavação e limpeza da rocha, o leito e encostas são tratados com concreto projetado. O motivo diz respeito à boa aderência e pelo material preencher bem as cavidades, antes do lançamento do concreto convencional.

O concreto projetado pode também ser combinado com outras soluções, como revestimento para o solo grampeado, uma tecnologia construtiva desenvolvida inicialmente para a construção de galerias.

O que é Concreto Projetado? Quais são as principais Vantagens e indicações de uso?

Concreto projetado aplicado em um túnel.

Quais são os maiores desafios do concreto projetado?

Podemos destacar as seguintes situações como sendo os maiores desafios do concreto projetado: homogeneidade, índice de reflexão, desplacamento e aderência.

Homogeneidade

A falta de homogeneidade do concreto projetado aparece devido ao próprio processo de projeção, a uma execução descuidada ou a uma falta de experiência da equipe. As causas principais da heterogeneidade do material, apresentando-se com defeitos, são:

  • Oclusão de material refletido;
  • Laminação;
  • Efeito de sombra;
  • Desplacamentos;
  • Alterações na superfície do material;
  • Variação da resistência à compressão do material.

Índices de reflexão

A reflexão é uma característica inerente ao processo de lançamento do concreto projetado. Ela é um dos fatores que determinam a viabilidade econômica do produto, pois o material refletido não pode ser reempregado na projeção.

Os fatores que determinam a maior ou menor reflexão vão desde o traço do concreto e qualidade dos materiais até as condições da superfície.

Os índices de reflexão podem ser minimizados com a incorporação de materiais finos, como a sílica ativa, que além de aumentar a resistência do concreto proporciona maior coesão, redução da dimensão do agregado e aumento do teor de aditivos aceleradores.

Desplacamento

Desplacamento é o fenômeno de destacamento de massa já projetada por falta de aderência. A falta de aderência ocorre devido à aplicação de concreto projetado sobre superfícies com materiais soltos, muito lisos, com camadas de carbonato de cálcio ou muito úmidos. Também pode ocorrer caso o concreto projetado tenha excesso de umidade.

Outra razão é que o concreto projetado normal dificilmente consegue atingir espessuras superiores a 7,5cm sem que haja o rompimento por falta de coesão. Assim, para atingir essas espessuras, utilizam-se várias passadas (o que aumenta a reflexão) ou recorre-se a aditivos aceleradores de pega ou emprego de sílica ativa.

O desplacamento gera um maior risco de acidentes no trabalho durante a projeção, visto que pode ocorrer queda de material sobre algum operário ou sobre o próprio mangoteiro.

Aderência

Como causa desplacamentos, a falta de aderência do concreto projetado causa problemas de custos, assim como de segurança estrutural e operacional. Ela pode ocorrer devido a substratos fracos, muito lisos ou, ainda, que estejam contaminados com material solto ou parcialmente endurecidos.

A pequena resistência do material nas primeiras horas após a projeção também é uma causa importante da falta de aderência. Isso pode desencadear fissuramento junto ao substrato, devido ao próprio peso da camada e à grande deformabilidade. A utilização de uma maior quantidade de aditivos aceleradores de pega seria a solução para essa questão.

Como aumentar a qualidade do concreto projetado?

O fator mais importante do concreto projetado é a coesão, que rege a facilidade que a massa tem de aderir ao substrato. Para que isso ocorra, deve-se aumentar a quantidade de finos do traço do concreto, adicionando a sílica ativa, que é cerca de cem vezes mais fina do que o cimento.

Além de aumentar a durabilidade do concreto, esse processo trará maior coesão, aderência e resistência. Essas questões irão ajudar a prevenir possíveis reações dos agregados com os álcalis do cimento, além de reduzir significativamente o calor de hidratação.

O uso da sílica ativa também tem como principais vantagens reduzir a permeabilidade do concreto, aumentar a resistividade e minimizar os índices de reflexão, além de funcionar como proteção a agentes agressivos.

Fibras de aço e de propileno também são muito utilizadas na elaboração de concretos projetados. Mesmo não tendo como função primordial a elevação da resistência, contribuem para a maior ductilidade do concreto, melhorando a distribuição de fissuras e reduzindo a abertura máxima delas.

Os principais cuidados na hora de usar esse concreto

Com relação à saúde, deve haver o cuidado de usar os EPIs. Afinal, há grande formação de poeira quando o concreto é inserido no equipamento de jateamento por via seca. Além disso, o cimento em si também é perigoso para a pele. Em termos gerais, deve-se sempre usar luvas, máscaras tipo PFF1 e calçados, para a neutralização dos agentes agressivos.

As operações de projeção de concreto incluem perigos como: ocorrências durante a projeção propriamente dita, reflexão, entupimentos, quebra de equipamentos, queimaduras causadas por materiais cáusticos e desplacamentos. No caso de via seca, há ainda a presença de partículas finas em suspensão.

Com relação ao concreto projetado em si, antes do início da aplicação, deve-se verificar se materiais e equipamentos estão em condições de permitir uma operação contínua e eficiente. Caso a preparação das superfícies tenha sido efetuada dias ou semanas antes da aplicação, o substrato deve ser novamente limpo e umedecido.

Vale ressaltar que tanto o concreto projetado por via seca quanto por via úmida utilizam diferentes tipos de equipamentos, com os quais a equipe básica deve estar familiarizada.